Pages

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Contas 2004 de José Augusto Maia são rejeitadas no Tribunal de Contas


Pois é, não é que a conta de 2004 de Zé Augusto quando prefeito foi rejeitada.

Segundo o processo TC Nº 0540081-8 relativo ao exercício financeiro do ano de 2004, o ano em questão segundo o TC, possui diversas irregularidades tais como:
 “Exceder o limite de gastos de 58,5% segundo a Lei de responsabilidade fiscal, problemas no fracionamento da licitação da limpeza pública, não pagamento das obrigações patronais dos servidores públicos municipais(ou seja, não pagar o INSS dos servidores)”.

Talvez seja por isso que José Augusto Maia seja contra ao tal projeto Ficha Suja, já que o mesmo possui as Contas de 2004, 2006 e 2007 de sua gestão rejeitada pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco. Segue, portanto abaixo na íntegra e com exclusividade o parecer do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco.

PROCESSO TC Nº 0540081-8
PRESTAÇÃO DE CONTAS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE, RELATIVA AO EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2004
ADVOGADO: DR. ANGELO DIMITRE BEZERRA ALMEIDA DA SILVA - OAB/PE Nº 16.554
RELATOR: CONSELHEIRO EM EXERCÍCIO MARCOS NÓBREGA
PRESIDENTE EM EXERCÍCIO: CONSELHEIRO ROMÁRIO DIAS
VOTO DO RELATOR
Isso posto, e
CONSIDERANDO que a Prefeitura excedeu o limite de gastos do Poder Executivo imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal, tendo gasto o percentual de 58,5% (cinqüenta e oito vírgula cinco por cento);
CONSIDERANDO o descumprimento, por parte do Poder Executivo, do artigo 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal;
CONSIDERANDO o fracionamento do objeto da licitação de serviços de limpeza e a prorrogação dos prazos de todos os convites, em contrariedade ao disposto no parágrafo 5º, artigo 23 da Lei nº 8.666/93;
CONSIDERANDO a não comprovação da destinação dos recursos previdenciários, bem como a ausência do pagamento devido das obrigações patronais;
CONSIDERANDO o disposto nos artigos 70 e 71, inciso I, combinados com o artigo 75 da Constituição Federal,
Voto pela emissão de Parecer Prévio recomendando à Câmara Municipal de Santa Cruz do Capibaribe a rejeição das contas do Prefeito, Sr. José Augusto Maia, relativas ao exercício financeiro de 2004, de acordo com o disposto no artigo 31, parágrafos 1º e 2º, da Constituição do Brasil,
CONSIDERANDO o disposto nos artigos 70 e 71, inciso II, combinados com o artigo 75 da Constituição Federal, e no artigo 59, inciso III, alíneas “b” e “c”, da Lei Estadual nº 12.600/04 (Lei Orgânica do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco),
Julgo irregulares as contas do Ordenador de Despesas, Sr. José Augusto Maia.
Por fim, em virtude das irregularidades e falhas de controle interno constatadas durante os trabalhos de auditoria, referentes ao exercício financeiro de 2004, recomendo à atual Administração a adoção das seguintes medidas para correção dos problemas levantados e fortalecimento dos controles internos da entidade:
  1. Analisar os dispositivos da Lei nº 8666/93, referentes à modalidade da respectiva licitação, procurando formalizar os processos de acordo com a disciplina jurídica devida.
  2. Atentar para as normas e práticas pertinentes às licitações públicas, objetivando atender aos Princípios da Legalidade, Legitimidade, Moralidade, Impessoalidade e Economicidade na gestão dos recursos públicos.
  3. Obedecer ao limite máximo para aplicação de recursos com gasto de pessoal exigido pela Constituição Federal (art. 169) e pelos artigos 19, 20 e 71 da Lei Complementar nº 101 de 04/05/2000.
4. Implementar o Sistema de Controle Interno.
5. Providenciar o recolhimento devido das obrigações patronais.
Determino à Diretoria de Plenário o envio de cópias dos documentos técnicos referentes às irregularidades com recursos da previdência à Secretaria da Receita Federal do Brasil, órgão responsável pelas contribuições objeto de exame neste Processo.

Por Pablo Ricardo
Twitter: @pabloricardops

Do Diario da Sulanca

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Torcida alvirrubra comemora classificação, e jogadores ironizam Brasão


O Náutico está na final do Campeonato Pernambucano. Com uma grande atuação, os alvirrubros venceram o Santa Cruz por 1 a 0, nos Aflitos, e decidirão o Estadual contra o Sport. O jogo de ida, no Arruda, havia sido 0 a 0.
Melhor em toda a partida, o Náutico chegou ao gol da vitória aos 22 minutos do segundo tempo. Brilhou a estrela de Carlinhos Bala. O atacante completou de cabeça um cruzamento de Zé Carlos, que havia feito grande jogada, ao driblar Brasão e Gilberto Matuto pela ponta esquerda.
A estratégia montada pelo técnico Alexandre Gallo funcionou muito bem. O Náutico teve nesta quarta-feira a sua melhor atuação em todo o campeonato. Com muito dinamismo, velocidade e eficiência na marcação, o meio de campo alvirrubro deu ao jogo um ritmo muito forte, com muito volume do jogo e chances criadas. O ataque alvirrubro foi o seu principal adversário na partida. Ainda assim, o goleiro Tutti já havia feito duas defesas dificílimas antes do gol da vitória.
O Santa Cruz não encontrou forças para igualar o jogo. Brasão isolado. Elvis muito apagado. Jackson até tentou, por duas vezes, mas chutou para fora. Por sinal, não é que o Santa Cruz tenha jogado de forma recuada: o Náutico que acuou o Santa Cruz.
A vitória premiou o ímpeto ofensivo do Náutico, que buscou o ataque o tempo todo. A partida coroa uma evolução do Náutico, cuja torcida agora grita eufórica: "que venha o Sport!".

Perspectivas futuras: o Brasil de Serra ou de Dilma


  Caso Dilma Rousseff vença a eleição, em outubro, muito pouca coisa mudará. Mesmo com outros personagens, seu ministério seguirá na  linha do atual, voltado para as obras do PAC e atento à necessidade de realizações no plano social. Seu governo manterá maioria no Congresso, nas  proporções atuais, continuando o PT a ocupar funções de destaque, ainda que sem governadores nos principais estados, pelo menos conforme as pesquisas vem indicando. A oposição de tucanos e democratas provavelmente começará esmaecida, à espera de atos e fatos negativos que todo governo fornece com o passar do tempo. O já então ex-presidente Lula, querendo ou não, constituirá um ponto de referência permanente, cuidando para conter-se diante da imprensa, que com toda certeza não o deixará  em paz.


  No reverso da medalha, se José Serra tornar-se presidente da República?  Engana-se quem supuser uma volta aos tempos e aos costumes de Fernando Henrique Cardoso, ainda que  personagens daqueles idos  possam ser repetidos. Mas nada de neoliberalismo exacerbado,  muito menos de novas privatizações ou alinhamento automático com os Estados Unidos.  É possível que banqueiros e especuladores não se sintam tão à vontade quanto nos últimos dezesseis anos. Com relação  à maioria parlamentar, também estará garantida, pelos mesmos  motivos que estaria com Dilma Rousseff, ou seja, por obra e graça do PMDB. Já em termos de oposição, será diferente. O PT voltará ao período de  intransigência dos seus primeiros anos,  reforçado pela CUT e movimentos sindicais afins, com destaque para o MST. Vão todos recuperar o tempo perdido, tentando  obter resultados  que não obtiveram nos dois mandatos do Lula,  igualmente uma espécie de pólo aglutinador das oposições. E, sem dúvida, candidato a retornar em 2014.(Carlos Chagas)

terça-feira, 27 de abril de 2010

Só seis municípios de PE terão internet oficial sem fio


O Ministério das Comunicações lançou edital de licitação para levar internet sem fio gratuita a 163 cidades. Na lista dos municípios que serão beneficiados com os investimentos federais estão 61 prefeituras do PMDB e 36 do PT, e o restante está distribuído entre os partidos da base aliada.

Os dois grandes partidos de oposição, PSDB e DEM, que, administram 1.390 municípios, foram praticamente ignorados. A única prefeitura tucana na listagem é Divinópolis (MG), enquanto Fernandópolis (SP) é a única do Democratas.

O Ministério é comandado pelo PMDB. O atual ministro, José Arthur Filardi, é homem de confiança do ex-ministro Hélio Costa, que deve disputar o governo de Minas Gerais em aliança com o PT.

A pasta prevê gastar R$ 100 milhões na implantação dos 163 projetos. O leilão para seleção da empresa (ou consórcio) que vai fornecer os sistemas, está previsto para o dia 12 de maio, mas o edital não estabelece prazo nem cronograma para a implantação dos projetos.

Com o Projeto Cidades Digitais, o Ministério das Comunicações já testou tecnologias de conexão em diversas cidades do país, nos chamados projetos-piloto. Já existem experiências em Belo Horizonte (MG), Tiradentes (MG), Barbacena (MG), Ouro Preto (MG), Piraí (RJ), Rio das Flores (RJ), Tauá (CE), Aparecida do Norte (SP), Parintins (AM), Garanhuns e Caetés (PE), Santa Cecília do Pavão (PR), Silve (AM) e Barreirinhas (MA), com investimento direto ou apoio institucional do ministério.


Lista dos municípios que serão beneficiados em Pernambuco: (Diário Oficial da União do dia 27/04/2010)

PE BARREIROS

PE FLORESTA

PE ITAMARACA

PE PASSIRA

PE SALGUEIRO

PE SERRA TALHADA

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Ministro pensa em "Plano B", com menos sedes, por demora em obras para Copa


O ministro do Esporte, Orlando Silva, admitiu hoje que o governo pensa em um "Plano B", com a redução de 12 para oito do número de cidades que abrigarão a Copa do Mundo de Futebol de 2014, caso o cronograma de obras previsto para a competição não seja cumprido.

"No caso de descumprir o prazo de início das obras, o Plano B para a Copa é a exclusão de cidades", confirmou Orlando durante sua participação no Fórum Empresarial de Comandatuba, que anualmente reúne industriais e representantes do governo na cidade baiana.

Os estádios selecionados para a Copa terão de passar por grandes reformas para se ajustarem às exigências da Fifa, e alguns outros serão construídos.

"Posso assegurar que se uma cidade não cumprir com o prazo de início das obras, dia 3 de maio, corre o risco de ser excluída do Mundial. Nosso plano de contingências é eliminar quem não cumprir esse prazo", acrescentou o ministro.

Orlando explicou que a Fifa exige um mínimo de oito sedes, enquanto o Brasil quer fazer a competição em 12 cidades.

"A decisão de fazer a Copa em 12 cidades foi do presidente [Luiz Inácio Lula da Silva], para que todas as regiões do Brasil pudessem receber partidas, mas a Fifa exige apenas oito cidades, porque são oito os grupos de seleções e nosso plano de contingências é eliminar quem não obedecer o prazo", comentou.

As doze sedes escolhidas pela Fifa são: Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Manaus, Recife, Fortaleza, Natal e Cuiabá.

Ciro começa a bater: "Lula navega na maionese"


Após ter a sua candidatura à presidência negada pelo próprio partido, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) disparou contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, e o PMDB, principal partido aliado do governo. O deputado disse que Lula "está navegando na maionese" e ainda previu uma vitória do pré-candidato do PSDB, José Serra, nas eleições. Para Ciro, o tucano "é mais preparado, mais legítimo, mais capaz" do que a pré-candidata petista, segundo a Agência Estado.


"Lula está navegando na maionese. Ele está se sentindo o Todo-Poderoso e acha que vai batizar Dilma presidente da República. Pior: ninguém chega para ele e diz ‘Presidente, tenha calma’. No primeiro mandato eu cumpria esse papel de conselheiro, a Dilma, que é uma pessoa valorosa, fazia isso, o Márcio Thomaz Bastos fazia isso. Agora ninguém faz", disse Ciro em entrevista concedida ao site IG.


O deputado assumiu pela primeira vez que não deve ser candidato à Presidência da República e, oficialmente, aguardará a decisão da executiva do partido, marcada para o dia 27 de abril, terça-feira da semana que vem.


Ciro afirmou que Lula merece a própria popularidade, porque seu governo tem realizações, "mas ele não é Deus". O deputado criticou a postura do Planalto, que lhe tirou "o direito de ser candidato". "Mas quer saber? Relaxei. Eles não querem que eu seja candidato? Querem apoiar a Dilma? Que apoiem a Dilma. Estou como a Tereza Batista cansada de guerra. Acompanho o partido. Não vou confrontar o Lula. Não vou confrontar a Dilma."


O deputado previu uma vitória do ex-governador de São Paulo, José Serra, seu desafeto histórico, nas eleições deste ano. "Minha sensação agora é que o Serra vai ganhar esta eleição. Dilma é melhor do que o Serra como pessoa. Mas o Serra é mais preparado, mais legítimo, mais capaz. Mais capaz inclusive de trair o conservadorismo e enfrentar a crise que conheceremos em um ou dois anos."


"Em 2011 ou 2012, o Brasil vai enfrentar uma crise fiscal, uma crise cambial. Como estamos numa fase econômica e aparentemente boa, a discussão fica escondida. Mas precisa ser feita." Segundo o deputado, Dilma tem menos chance de enfrentar o problema do jeito que ele precisa ser enfrentado. "Como o PT, apoiado pelo PMDB, vai conseguir enfrentar esta crise? Dilma não aguenta. Serra tem mais chances de conseguir", observou.


Para Ciro, sua participação no pleito era "uma missão estratégica, que não será desempenhada por mais ninguém".


O deputado se comprometeu em acatar a decisão do PSB de apoiar a candidata petista, mas avisou que não vai se envolver na campanha. "Não me peçam para ir à televisão declarar o meu voto, que eu não vou. Sei lá. Vai ver viajo, vou virar intelectual. Vou fazer outra coisa". Ciro acredita que a eleição deste ano será marcada por baixarias, entre as quais inclui uma ação de grupos radicais abrigados no PT: "Sabe os aloprados do PT que tentaram comprar um dossiê contra os tucanos em 2006? Veremos algo assim de novo. Vai ser uma m…", previu.

Ciro Gomes admite sair candidato em 2010 e diz ter aprendido com erros de 2002


O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) disse nesta terça-feira, durante a sabatina da Folha, que poderá concorrer à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2010. Segundo o deputado, ainda é cedo para discutir o assunto pois o presidente Lula "mal interou um ano e três meses do seu mandato". Porém, admitiu que será uma honra "servir ao pais".


"Serei candidato se entender que é uma candidatura que servirá ao país. [....] Se for o meu destino, será uma honra", disse.


Durante a sabatina, o parlamentar adotou um tom ameno e descontraído ao responder às perguntas. Ele agradeceu o fato de não ter sido eleito em 2002 e disse que aprendeu com seus erros. Porém, ressaltou que não mudou o comportamento para "paz e amor", pois quer continuar sendo uma pessoa capaz de se indignar.


"Eu não mudei de comportamento. Eu falei à vontade, falei o que penso. O que eu sou é a mesma pessoa com 50 anos e menos cabelo. Se você fica mais velho, comete erros e aprende com eles. 


Apenas nenhum deles foi de má-fé. Eu não quero jamais ser uma pessoa que não tenha a capacidade de se indignar. Às vezes eu exagerei, mas nunca foi de má fé."


Ciro disse que deveria ter evitado a discussão que teve em fevereiro com a atriz Leticia Sabatella no plenário do Senado sobre a manutenção das obras de transposição do rio São Francisco. Na ocasião, Ciro disse à atriz: "Eu, ao meu jeito, escolhi a opção de meter a mão na massa, às vezes suja de cocô, às vezes. Mas minha cabeça, não, meu compromisso, não".


Ao ser questionado pelo repórter Kennedy Alencar se esta frase não seria um destempero pouco compatível com um político que tem possibilidade de se candidatar à Presidência da República, Ciro admitiu que deveria ter evitado o debate. "É evidente que deveria ter evitado [a discussão], mas passamos mais de sete horas debatendo", afirmou.


Sobre o dossiê com informações sobre as despesas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e sua equipe, Ciro seguiu o discurso de integrantes do governo Lula e disse que crime é vazar informações sigilosas, e não a confecção de dossiê.


"Consta que quem vazou o dossiê a revista 'Veja' foi o senador Álvaro Dias (PSDB-PR). Vazar é crime. Não sou eu que diz, é a lei. Ele nega [o vazamento]. Pode negar. Tem muitas evidências [contra ele]."


Para Ciro, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) não tem nenhuma responsabilidade com o dossiê. "Conheço a Dilma. Sei da sua seriedade, da sua compostura, da sua ética. Sei que ela está dedicada 24 horas por dia a servir ao país."


Veja os principais trechos da sabatina:


Ética
"Sem ética não há vida democrática. Qual a vantagem de um homem público ser decente. Todos têm de ser decentes. Isso não é vantagem nenhuma", afirmou o parlamentar, ao ressaltar que não usou o cartão corporativo do governo federal quando estava no comando do Ministério da Integração Nacional.


Taxa de juros
"A taxa de juros [de 11,75% ao ano] é ruim. O [Henrique] Meirelles [presidente do Banco Central] sabe disso. A despeito do juro alta, é o menor juro real dos últimos 30 anos".


Golpe contra Lula
"A eleição do Severino [Cavalcanti para a presidência da Câmara] foi tentativa de golpe. Era para ele receber o pedido do impeachment [de Lula]. O Aécio Neves [governador de Minas Gerais] foi um dos que ajudou a impedir o Golpe. Mas, antes disso, Severino aderiu ao Lula".


Derrota em 2002
"Agradeço a Deus não ter sido eleito naquela época. Não estava maduro. Imagina ser eleito e ter como oposição PT e PSDB".


José Serra
"Ele era o deputado de maior valor da bancada do PSDB e a bancada inteira não votava nele para líder. Aí ele me liga. Saio ligando deputado pra deputado, que me dizem: ele é sem escrúpulo, passa por cima da mãe, é arrogante. Os deputados que diziam, não eu. Fizemos ele líder da bancada pelo valor."


Cid Gomes
"Acho francamente que governador do Estado do Ceará deve se explicar. Deve chamar imprensa e se explicar. Ele deve uma explicação [sobre a carona que o irmão deu para a sogra num jatinho que foi para a Europa em viagem oficial]."


Farcs
"Eu abomino a violência. Para mim, as Farc perderam a noção há muito tempo. "Não há pretexto ideológico que justifique seqüestrar uma mulher e deixá-la confinada por anos", disse, em referência à franco-colombiana Ingrid Betancourt, refém da guerrilha.


Terceiro mandato
"Esse pseudo fato [terceiro mandato] prejudica o país. O Lula já disse que não quer e no Senado [o governo] não tem nem maioria simples [para aprovar a proposta]. Não quero nem comentar uma coisa que não faz bem para o país", afirmou.


da Folha Online

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Ingestão de álcool piora alergias principalmente em mulheres


Nariz entupido e espirros durante toda a estação da alergia? Talvez seja melhor deixar o álcool de lado. Estudos descobriram que o álcool pode causar ou piorar os sintomas comuns da asma e da febre do feno [comum no hemisfério norte], como espirros, coceiras, dor de cabeça e tosse.

Mas o problema nem sempre é o próprio álcool. Cerveja, vinho e licor contêm histamina, produzida pela levedura e bactérias durante o processo de fermentação. A histamina, é claro, é o químico que deflagra sintomas de alergia. Cerveja e vinho também contêm sulfitos, outro grupo de compostos conhecido por provocar asma e outros sintomas parecidos com alergia.

Num estudo realizado na Suécia, em 2005, cientistas observaram milhares de pessoas e descobriram que, em comparação com a população em geral, os participantes com diagnóstico de asma, bronquite e febre do feno tiveram muito mais tendência a apresentar espirros, nariz escorrendo e “sintomas nas vias respiratórias” depois de tomar um drinque.

Vinho branco e vinho tinto foram os elementos que mais deflagraram esses sintomas e as mulheres, por razões desconhecidas, tiveram duas vezes mais probabilidade de serem afetadas.
Outro estudo com milhares de mulheres, publicado no jornal “Clinical and Experimental Allergy” em 2008, descobriu que tomar mais de duas taças de vinho por dia praticamente dobra o risco de sintomas de alergia, mesmo entre mulheres livres de alergias sazonais e perenes no início do estudo.

Também é bom evitar outros alimentos que contenham ou liberem histamina, como queijos envelhecidos, produtos em conserva ou fermentados e alimentos que contenham levedura, como pão, cidra e uvas.

New York Times

Los Angeles inaugura hotel para fumantes de maconha


O Normandie, em pleno coração do bairro coreano de Los Angeles (Califórnia), reabre suas portas nesta terça-feira, 20 de abril –dia mundial de comemoração para os amantes de cannabis–, como “o primeiro hotel para fumantes de maconha” dos Estados Unidos.

“É um passo realmente lógico. É uma cidade grande e precisavam de mim aqui e eu precisava de uma mudança”, disse ao jornal “Los Angeles Times” Dennis Peron, promotor da reabertura deste antigo hotel erguido em um edifício histórico.

Peron é um dos líderes das iniciativas a favor da legalização da maconha na Califórnia e adepto da cultura do “pot” em Los Angeles e São Francisco.

“São as pessoas, são os números, é a cultura popular”, explicou, ao enumerar a popularidade da maconha no estado.
O pacote oferecido pelo Hotel Normandie é de 420 dólares por duas noites, nas quais se pode fumar maconha. Por enquanto, não está claro se o preço inclui alguma droga ou se é necessário contar com uma receita médica para se hospedar, tal como rege a legislação da Califórnia.
Entretanto, segundo o jornal, o hotel instalou máquinas de “aperitivos” no lobby, “em caso de fome”.

Richard Eastman, responsável pela promoção do hotel, afirmou: “Esqueçam Amsterdã. Vejam a 6 e Normandie (as ruas onde se localiza o hotel). Não precisam de passaporte para vir ao Normandie Hotel. Não precisam de passagem aérea para vir ao Normandie Hotel”.

Em novembro, os californianos participarão de um plebiscito para decidir sobre a legalização da maconha com fins recreativos. Seus incentivadores argumentam que desta forma haverá mais arrecadação de impostos em um estado com um imenso rombo fiscal.

France Presse, em Los Angeles

Vice-presidente do PSB se encontra hoje com Ciro


O vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, vai procurar hoje o deputado Ciro Gomes (SP), com uma missão: medir o "risco Ciro" no quadro eleitoral, caso o partido decida descartar de vez sua participação na corrida presidencial. O PSB, o PT e o Palácio do Planalto temem que Ciro saia atirando e prejudique a candidatura petista de Dilma Rousseff, segundo a Agência Estado.


Foi movido por esse temor que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já anunciou sua intenção de também procurar Ciro para uma conversa nos próximos dias, a fim de acalmá-lo e aplacar suas mágoas. A direção do PSB só se reunirá para tratar do assunto no dia 27 mas, nos bastidores do partido, a avaliação é de que o descarte da candidatura é iminente.


Ciro e a cúpula do partido estão em Brasília desde ontem. Hoje à tarde, Lula tem encontro com os três governadores socialistas - Eduardo Campos (Pernambuco), que acumula o governo com a presidência do PSB, Wilson Martins (Piauí) e Cid Gomes (Ceará), irmão de Ciro. A reunião é para tratar das obras da Ferrovia Transnordestina, mas a aposta geral é que a política também vai entrar na agenda.

O Estilo Jarbas


Jarbas conversou com Serra na tarde da última terça-feira por quase duas horas. Do encontro, amarrado por ele diretamente com o tucano, nada se sabe, nada se comenta. Nem o próprio Serra deixou vazar, a pedido do aliado, que na última nota que distribuiu com a Imprensa estabeleceu o dia 30 como prazo para o anúncio da sua decisão de concorrer ao Governo do Estado.

Por que tanto mistério? Por que tanto segredo? Os partidos e as lideranças da base de oposição, que aguardam por Jarbas há mais de seis meses, estão loucos por uma sinalização, mas não arriscam procurá-lo para se informar. Temem a sua cara feia, o seu estilo, a sua tromba.

Já se foi o tempo em que se fechar em copas e esconder o jogo se constituíam em detalhes imprescindíveis para uma estratégia política se consumar infalível. Além de não revelar o que conversou com o presidente tucano sequer para as lideranças oposicionistas solidárias a um projeto seu de enfrentar o favoritismo do governador Eduardo Campos, Jarbas e sua assessoria esconderam o tempo todo a data e o local do encontro com Serra.

Sua assessoria de Imprensa chegou a cometer a trapalhada de informar que ele estava no avião a caminho do Recife na tarde de terça, quando, na verdade, já se encontrava no divã de Serra.

domingo, 18 de abril de 2010

Pesquisa Datafolha aponta Serra com 38% e Dilma com 28%


Segundo levantamento, Marina Silva tem 10% e Ciro Gomes, 9%.
Aprovação ao governo Lula ficou em 73%.


O ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB), tem 38% das intenções de votos na corrida presidencial, segundo pesquisa Datafolha realizada nos dias 15 e 16 de abril, publicada pelo jornal “Folha de S.Paulo” neste sábado (17). De acordo com o levantamento, o tucano tem 10 pontos percentuais de vantagem sobre a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Roussef, com 28%.
No fim de março, Serra e Dilma tinham, respectivamente, 36% e 27%, segundo o mesmo instituto de pesquisa. Levando-se em consideração a margem de erro de dois pontos percentuais (para mais ou para menos), o quadro não mostra alteração significativa. Marina Silva (PV) teve 10% das intenções de votos. Ciro Gomes (PSB) soma 9%.
De acordo com o Datafolha, 7% dos entrevistados disseram que vão votar em branco, nulo ou em nenhum candidato, e 8% ainda não sabem em quem votar.
Aprovação do governo
A aprovação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva oscilou ligeiramente para baixo desde a última pesquisa, em março. Dos entrevistados, 73% consideram ótimo ou bom. No levantamento anterior, esse índice era 76%. A margem de erro também é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.
Segundo o Datafolha, 22% consideram o governo regular (contra 20% em março), 5% ruim ou péssimo (contra 4% na última pesquisa). A nota média do governo permaneceu em 7,9.

Roberto Carlos fez homenagem à mãe em show em Nova York


Mãe do cantor morreu neste sábado, no Rio de Janeiro.
Roberto Carlos não sabia da morte ao cantar 'Lady Laura'.


Durante o show que Roberto Carlos fez em Nova York na noite deste sábado (17), o cantor interpretou a música "Lady Laura", composição em que homenageia sua mãe, Laura Moreira Braga
Trechos do show onde Roberto canta " Lady Laura" Antes de saber da morte de sua mãe.


"Lady Laura", como era conhecida, morreu às 18h20 deste sábado no Hospital Copa D’ Or, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, vítima de infecção pulmonar, aos 96 anos.


O cantor não foi informado da morte da mãe antes do início do show. Ao cantar a música, ele disse ao público que estava preocupado com a saúde de Lady Laura, mas que ligou para o Brasil e foi informado que ela estaria "melhorzinha".
Depois do tradicional momento em que rosas são entregues para o público ao som de "Jesus Cristo" e o cantor se despede, o maestro da banda de Roberto Carlos, Eduardo Lages, se dirigiu à plateia e disse que o cantor não voltaria mais ao palco porque tinha acabado de receber a notícia da morte da mãe.
Prantos
Após o término do Show, o maestro disse ao G1 que Roberto Carlos caiu em prantos ao receber a notícia. Ao deixar o local, o cantor acenou para os fãs, que o desejavam "força", e foi embora em um carro sem falar com a imprensa. De acordo com o maestro, antes mesmo de saber da morte da mãe, o cantor já tinha o retorno ao Brasil marcado para este domingo (18).
Segundo a assessoria de imprensa do hospital Copa D'or, Lady Laura morreu às 18h20. No atestado de óbito constam como causas: choque séptico e insuficiência respiratória aguda, decorrentes de pneumonia bacteriana e agravados por insuficiência renal crônica, insuficiência coronariana e arritmia cardíaca. Ela havia sido internada no dia 31 de março e levada para o Centro de Terapia Intensiva (CTI) em estado grave, com quadro de infecção pulmonar.
Música
A mãe do cantor ficou conhecida nacionalmente pela música "Lady Laura", parceria do filho com Erasmo Carlos. A canção’, composta em 1976, em momento de solidão num hotel de Nova York, se tornou uma das que mais fazem sucesso fora do Brasil.
Na gravação da canção ‘Lady Laura’, em 1978, Roberto chorou no estúdio e a música foi repetida várias vezes. A mãe nunca abandonou o filho desde o dia em que Roberto cantou pela primeira vez no rádio, aos 9 anos, em Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo.
Apesar de lúcida, Lady Laura vivia sob os cuidados de duas empregadas e só saía aos domingos para assistir à missa na Igreja Nossa Senhora do Brasil.
Foi Lady Laura, que era devota de Nossa Senhora, Cosme e Damião e São Judas Tadeu, quem passou a forte religiosidade para o cantor. Ela era uma das pessoas que mais incentivaram a carreira artística de Roberto Carlos.
Diálogo com a mãe
Na quinta (15), em entrevista em Nova York, onde recebeu uma homenagem pelos 50 anos de carreira e pela marca de 100 milhões de discos vendidos, ele relembrou que decidiu o seu futuro aos nove anos de idade, ao voltar para casa depois de se apresentar na Rádio Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo.
Roberto lembrou o diálogo que teve com a mãe. "Mãe, você quer que eu seja médico , mas eu não quero ser médico mais não, porque agora eu quero ser cantor". A mãe ainda questionou que tinha sido apenas uma apresentação na rádio e ele respondeu - "É mas é isso que eu quero. E nunca mais mudei a minha cabeça", completou.

Cristina Indio do BrasilEspecial para o G1, em Nova York

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Guerra: "É mentira que Serra acabe com Bolsa-Família"


O Senador Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB, em entrevista à TV UOL, sob o comando do jornalista Fernando Rodrigues, afirmou que o partido não pretende acabar com o Bolsa Família. Muito pelo contrário, aperfeiçoá-lo e ampliá-lo ainda mais. Além disso, Guerra fez avaliação da sucessão presidencial, da pré-candidata do PT, Dilma Roussef, sobre a vice na chapa do PSDB à presidência, campanha em Pernambuco e futuro político.

"O discurso de que o PSDB quer acabar é mentira, demagogia. Aqui no Brasil, este tipo de programa para o desenvolvimento sustentável começou no governo do Fernando Henrique Cardoso, a dona Ruth, inclusive, teve um papel muito importante nisto", disse Guerra, completando "O mérito de Lula foi ampliá-lo e nós faríamos a mesma coisa, potencializaríamos o programa. É terrorismo puro afirmar que o PSDB acabaria com o programa. Mas nós estamos combatendo isso".

Para Sérgio Guerra, o discurso da base governista, de uma forma geral, já está batido, como a questão das privatizações e a "separação de classes no país". "O que tinha que ser privatizado, já foi. O governo continua com essa conversa porque favorece a eles. É a mesma coisa de dizer que vamos acabar com o Bolsa", contou "Essa coisa de dizer que eles são do povo, nós dos ricos, eles dos trabalhadores, nós da elite... Uma velha conversa que não tem pé. Muito menos começo", afirmou.

Sobre Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à presidência, o senador disse que ela não tem história, não tem currículo e não convence ninguém. "Tudo o que Dilma pode dizer é que o Lula", falou. "Ela não nenhum tipo de preparação, desconhecimento total das pessoas, da política, dos problemas. Ela nunca liderou nada. Não pode pensa que vai governar o país e que isso vai dar certo", disse.

Aécio, FHC e vice-presidência

Questionado por Fernando Rodrigues sobre o papel de Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso na campanha e de quem será o vice-candidato na chapa presidencial, Sérgio Guerra informou que Aécio é fundamental, tem convergência e será importante na eleição de Minas Gerais. Sobre FHC e os boatos de que o PSDB esconde o ex-presidente, o senador tratou de por fim à história. "O partido não existe sem o FHC. Ele está em nosso DNA", afirmou. Ao falar sobre o vice, Guerra disse que não será Aécio e que a conversa em torno do tema será com Democratas (DEM) em concordância aos demais partidos que compõe a chapa, a exemplo do PPS.  "A escolha atenderá a todo o conjunto", resumiu.

Sensus

Ao avaliar a pesquisa do Sensus, divulgada no dia 14/04, o senador Sérgio Guerra, presidente do PSDB, foi direto. "O instituto é ligado a irregularidades, a maquiar números. Nós não levamos a sério. O resultado deles é no mínimo estranho", enfatizou.

Comparação entre os governos

"Eles não vão mandar na gente, não tem histórico para isso. Há pontos positivos e nós reconhecemos", disse. "Mas o tamanho do que não positivo é enorme. As instituições estão mal, a democracia vai mal. Ninguém sabe o que Dilma fala. E quando fala, é besteira", completou.

Futuro político e campanha em Pernambuco

"Em Pernambuco, nós temos aliança com o PMDB. Será uma campanha disputada. O presidente Lula tem muitos feitos lá. Todos atrasados, mas tem. E será o senador Jarbas Vasconcelos no Governo, eu e Maciel para o Senado, como foi em 2002. E Jarbas assumindo será, como sempre foi, um ótimo administrador", finalizou o Sérgio Guerra.